domingo, 31 de agosto de 2014

Marina 40, PresidentA!

A Dilma não tem nada em seu programa de governo para garantir os direitos de homossexuais. Por outro lado, a candidata Marina tem algumas linhas para assegurar melhores condições à população homossexual. Em seu programa de governo estava explicito (no site) que ela era a favor do “casamento homossexual”. Porém, suas entrevistas contradiziam o “programa escrito”. Ela mais de uma vez disse: “não sou a favor do casamento gay, e sim de uma “união civil” entre homossexuais”. E continua reafirmando “para mim casamento evoca a ideia de ‘sacramento’, como união civil sim, como casamento, não!”. Depois de uma onda de comentários nas redes sociais, no dia 30 de agosto de 2014, ela corrigiu em seu site, o programa de governo, para as palavras que ela sempre repete nas entrevistas, debates, etc.

Embora haja uma horda de homossexuais defendendo-a, dizendo que alguns são extremistas a ponto de condená-la apenas por esse infeliz erro de colocação. Fico pensando...

Ela é Evangélica da Assembleia de Deus, e isso me dá medo! Malafaia, Everaldo (candidato a presidente), Feliciano (ex-Direitos Des-Humanos) e muitos outros políticos também são. Inclusive, a Marina já defendeu o Feliciano dizendo que ele foi perseguido por ser evangélico!? Francamente, reveja o discurso dele minha cara, e dê uma boa lida nas propostas desumanas da criatura. Se a Igreja Católica já destruiu a imagem de Deus/Cristo/e/todos os Santos com a inquisição, esbanjando poder e acabando com qualquer um que se opunha as suas “doutrinas”. Enfim, uma história pútrida de séculos atrás, que atualmente capenga com escândalos pedófilos. O que os “evangélicos” querem? Dar uma de Pink e Cerebro e tentar “dominar o mundo”? Com o poder nas mãos, o que fariam? Se já defendem a “cura gay”, do que seriam capazes se tivessem tal poder? E se não conseguissem manipular todos para esse fim? Fuzilamento?

Então, não é que tenhamos persigamos ou tenhamos preconceito contra evangélicos... Mas, eu particularmente tenho medo de fanáticos ou fanáticos religiosos no poder, porque vez ou outra eu lembro da história do mundo. Eu lembro que Hitler perseguiu e dizimou judeus (e homossexuais), simplesmente, porque ele tinha inveja, preconceito, não respeitava as diferenças e porque se achava um ser PURO. E “PURO” é o que muitos Evangélicos, Católicos, e outras religiões, ou seja, muitos heterossexuais pensam que são.   

Voltando ao “sacro-casamento”. O sagrado tem alguns significados, entre eles: “Ato instituído por Deus para purificar e santificar almas”. Se a Marina não considera o casamento gay sagrado, e sim uma união civil. O que realmente ela quer dizer com isso? Que Homossexuais não são filhos de Deus? Perdão, mas não foi Deus que criou todas as coisas? Quem não é homossexual, e não tem nenhuma compaixão no ser, não pode mesmo entender que não “OPTAMOS” ser o que somos. Nascemos assim! Porque alguns tem MEDO-EXTREMO e fingem ser o que não são, não significa que todos devem ser da mesma maneira.


Enfim, a Marina acha que somos párias? 

5 comentários:

Homem, Homossexual e Pai disse...

Acho quem em 2010, como ela tinha poucas chances de sucesso,muita coisa que disse não ficou clara... agora ela vai ter que se explicar melhor, agora nem os gays nem os evangelicos vao mais votar nela, queda certa nas proximas pesquisas com certeza!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Perfeito ...

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Mas deixo aqui um registro ... O PT, q sempre se arvorou como um partido laico esteve 12 anos no poder e não fez nada, pelo contrário, se rendeu às pressões da bancada evangélica ... difícil né?

FOXX disse...

olha, quando eu li as propostas que ainda eram do Campos, fiquei animado pensando que poderia ser uma opção de voto, mas ai foi só o Malafaia gritar no Twitter que ela deu pra trás rapidinho. Foi horrível.

Anônimo disse...

Perai. União civil é diferente de casamento, mesmo que ela garanta os mesmos direitos por lei. Colocar um "casamento" com nome diferente só para os gays dá a impressão de que não se trata da mesma coisa, e não ajuda em nada no combate ao estigma que sofremos na sociedade.
Então não. Não é a mesma coisa, e não podemos aceitar. Casamento é CIVIL, sempre foi civil no nosso país. Não há argumento válido que diga que gays não podem se casar porque não são casal de homem e mulher.