domingo, 24 de fevereiro de 2013

PEQUENOS DEVANEIOS

1

Não fazia ideia que a mãe do Foxx era católica (li num post, um dia desses). Pelo que ele conta, jurava que ela era daquelas evangélicas nervo-fervorosas do tipo que ajuda a Pastor a exorcizar demônios.


2

Na aula de quarta-feira, estava com tanto sono e a aula em si tão chata que passei a noite lendo "Superfical e Vulgar" - o que mudou meu status de semi-morto para feliz e sorridente. O professor deve pensar que sou louco (ou um FDP sem respeito) a essa altura - dei vários acessos de riso contido lendo o blog. Afinal, quem não gosta de um bom e velho "café com veneno de jararaca"?

3

OBSERVAÇÃO: Os nomes dos atores tem link, mas já aviso que as imagens são inapropriadas para certos ambientes.

Desejo ardentemente ter o JACK HARRER (versátil) e / ou o TIM KRUGER (ativo) como marido(s). Em se tratando do mundo "5 contra 1", são meus dois sonhos de consumo. Embora tenham muito calibre (coisa que as vezes dá medo) e sejam completamente diferentes, gosto deles especialmente pelo sorriso safado (Ok, confesso que a cobra de ambos me é hipnotizante).

JACK HARRER

TIM KRUEGER

4

Maldita seja a anciedade! Estou com 90 quilos... Gordinho rumo ao problema de coração, hipertensão, diabetes e colesterol. Cria logo vergonha nessa cara, coleta!

5

Darling stop confusing me
with your wishful thinking
hopeful enbraces
don't you understand?
i have to go through this
i belong to here where
no-one cares and no-one loves
no light no air to live in
a place called hate
the city of fear
(Play Dead / Bjork)


6


Kit Kat
Kit Kat
Kit Kat


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

ESPARTANOS | Lenin Foxx




Hoje temos um post publicitário, para divulgar "ESPARTANOS" obra de nosso querido Lenin Foxx, que tem criatividade para escrever um livro, e, muita coragem para escrever um romance homossexual. Como sabem os brasileiros - pelo menos a grande massa - não são grandes adeptos da leitura, se contar as obras homossexuais que temos publicadas, acredito, é quase irrelevante em número - coisa que precisa mudar. Não indico o livro, simplesmente porque é uma obra gay. Indico porque já li trechos, quando o livro era blog e o texto é muito agradável.

Você caro visitante, acredito que já conheça a forma de escrever do Foxx, lá no ESTÓRIAS DO MUNDO, então acredito que você já tenha uma noção do que esperar - embora o conteúdo seja muito diferente. Obs: Não há ilustrações no livro.

Gostou? acesse: CLUBE DE CRIADORES.


______________________________________________




A vida daqueles meninos os condicionaria a se tornarem guerreiros de Esparta: Alceu, Iolau, Heleno e Clício deixam suas posições de crianças para traçarem sua trajetória rumo à glória de servir sua cidade, em seus ínfimos sete anos de idade. A realidade em que são expostos é agressiva, é intimidadora e implacável. Apenas os fortes sobrevivem para que haja “liberdade para os gregos!” e, cada um, a sua maneira, mostra sua força para driblar os perigos que aparecem – tanto perigos para sua imagem como cidadão de Esparta, quanto perigos que colocam suas próprias vidas em risco.

Ao passar dos anos, e com seus desenvolvimentos pessoais construindo suas posições sociais na realidade em que vivem, os meninos se tornam adolescentes e, após, homens. Novas personagens vão se inserindo na vida dos protagonistas e criam novas estruturas para situação que explode ao redor, a guerra entre Esparta e Atenas.

Escrito com fluidez, o romance é uma verdadeira arca de informações históricas. Arca essa, aberta em cada trejeito de fala das personagens e na facilidade com que o narrador coloca o leitor imerso na realidade que está propondo. A carga informativa da obra não impede que o leitor, já impregnado pela verdade descrita, se emocione e se surpreenda a cada novo fato narrado.

Transitando entre as diferentes visões dos jovens guerreiros, a narrativa problematizará diferentes valores sociais da Antiguidade Clássica com a visão de mundo contemporânea do leitor, debatendo assuntos que vão desde as possíveis políticas que existiam, relações familiares, amor, até as vestimentas, tudo dentro de uma descrição minuciosa e embebedada pelo homoerotismo.

A obra entretém, além de informar, e pode ser usada como ponto de partida para discussões mais amplas que ultrapassam a época em que há o desenrolar da história. É uma trama que avança além do que se propõe, uma resposta artística a História de ontem e hoje.

Gabriel Bruno Martin
______________________________________________

Baixe as imagens abaixo, e divulgue você também a obra.

BLOG


FACEBOOK / BLOG / ETC.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

THE PERKS OF BEING A WALLFLOWER

"AS VANTAGENS DE SER INVISÍVEL" é um filme sensível, divertido e cheio de conteúdo, porque cita e discute diversas obras da literatura, cinema e da cultura pop (especialmente as muitas pérolas musicais).

A história gira em torno de um jovem calouro (Charlie / Logan) que teve um colapso, acaba de sair de uma clinica e não tem nenhum amigo. De repente ele começa a se envolver com Patrick (Ezra), um garoto (gay) super alto astral, comunicativo e brincalhão & Sam (Emma) uma garota super legal, com um passado ruim (fama de vadia) - e por quem Charlie é apaixonado.

Além do relacionamento entre os três (lembrei de Harry, Rone e Mione) o filme aborda temas comuns entre adolescentes, como: introversão, sexualidade, uso de drogas, entre outros...

Have some fun!


Autor: Stephen Chbosky
Editora: MTV Books (EUA) / Rocco (BR)
Titulo original: The Perks of Being a Wallflower
Titulo tradução: As Vantagens de Ser Invisível

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

INSÓLITO | Antonio Biaggi


Taí uma coisa que não se vê todo dia... Mas bem que eu queria todo dia Antonio Biaggi (ator porno, superdotadão) usando uma deliciosa Andrew Christian. Quem é mais delicia? O Homem e sua grande mala ou a cueca.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

MORTE SÚBITA | Leitura obrigatória



Se você não gosta ou tem aversão a Harry Potter, não se preocupe. Rowling com sua ótima forma de escrever, criou uma obra mágica, mas a magia aqui é intriga, fofoca, calunia e difamação - uma história sobre os pequenos segredos e intriguinhas das pessoas de uma cidade pequena no interior da Inglaterra chamada Pagford. A parte de guardar segredos, fingir, dissimular e sempre estar de bem com a vida, se parece muito com a cidade de Little Tall, uma pequena cidade do continente no filme "A Tempestade do Século" (1999), obra de Stephen King.

Abaixo, você pode conferir o trecho Homoxy (ou deveria dizer Homoxx) da narrativa de Morte Súbita - mas o resto é muito mais interessante que esse pequeno achado.

"Patricia estava sozinha, observando as insígnias de Pagford na parede, sem fazer nenhum esforço para falar com quem quer que fosse. Shirley adoraria que Patrícia usasse uma saia de vez em quando, mas pelo menos, ela tinha vindo sozinha. Teve medo de que houvesse mais alguém no BMW, e quando viu a filha descer do carro sem mais ninguém, achou que tinha saído no lucro.

Ninguém imagina que uma mãe possa não gostar do próprio filho; pelo contrário, espera-se que ela goste dele não importa o que aconteça, mesmo que ele não seja o que se espera, mesmo que venha a ser do tipo de pessoa que, se não fosse seu parente, você atravessaria a rua para evitar qualquer tipo de contato. Howard tinha uma visão menos rígida das coisas; até fazia piadinha inofensivas quando Patrícia não estava presente. Shirley não conseguia alcançar esse nível de desprendimento. Sentiu-se obrigada a se aproximar da filha, numa esperança vaga e inconsciente de conseguir diluir a estranheza, que, receava ela, todos percebiam na sua forma característica de se vestir e agir.


- Quer alguma coisa para beber, querida?

- Agora não - respondeu Patrícia, ainda olhando para as insígnias de Pagford - Não passei muito bem ontem à noite. Acho que exagerei um pouco. Saímos para beber com os colegas de trabalho de Melly.
Shirley esboçou um sorriso para o brasão acima delas.
- Ah, que bom - replicou Shirley.
- Gostei o convite - provocou Patrícia. - Pat e 'acompanhante'.
- Desculpe, querida, mas é assim que se faz quando as pessoas..., você sabe, não são casadas.
- Ah, é isso que diz no seu mural de etiqueta preferido, não é? Bem, Melly não quis vir, já que o nome dela nem ao menos estava no convite." (Morte Súbita, J. K. Rowling - pag. 418 e 419).

Pois é, como disse esse é o momento mais light da trama. Os adolescentes: Krystal, Andrew, Sukhvinder e Stuart (Bola) Wall, juntamente com seus respectivos pais são ainda mais interessantes. Estou  amando a leitura! Pena que está quase no fim...

domingo, 10 de fevereiro de 2013

TAKE IT


Carnaval é uma porcaria, mas agora imagina o monte de cuequinhas (caras, bocas e linguinhas) exatamente assim... Oh, glória!